Lado Histórico:

Paraty, ou Paratii, é cidade que se oferece a todos. É seu próprio nome que o diz, e as lendas sobre suas origens e comprovam: ... e então o Senhor começou a distribuir terras pelo mundo. A certa altura, d'Ele se acercou Pedro, reclamando seu quinhão. - É lá - disse o Senhor - aquilo é para ti! Certamente essa é a razão por que são assim tão tranqüilos os seus mares e por que é assim tão rica sua pesca, principalmente a pesca do parati. Não fossem todos os pescadores devotos de São Pedro. Existem, porém, os que afirmam que foi ao diabo que Deus entregou a terra, não sendo outra a razão por que as suas famosas águas ardentes - a autêntica parati - tornaram-se sinônimo da boa pinga.

Chafariz do Pedreira

Os tempos passaram, e foram os índios que tomaram conta da terra. Data do começo do século XVII o povoado que, em 1660, foi elevado à Vila de Nossa Senhora dos Remédios de Paraty. Situada entre a Serra do Mar e o Atlântico, Paraty conserva características próprias, com suas ruas estreitas de calçamento de pedras tipo pé-de-moleque, onde se erguem imponentes sobradões, evocadores de um passado de opulência. A Vila de Paraty, no auge de seu desenvolvimento, teve intenso movimento cultural e político, recebendo o título de Condado em 1813, e elevada à categoria de cidade em 1844. Deve sua prosperidade ao fato de partir dali, até a abertura do "caminho novo", a via de comunicação que levava às Minas Gerais, pela Serra do Facão. Por outro lado, Paraty era ligado, pela navegação marítima com o Rio de Janeiro. Foi erigida em Monumento Histórico do Estado do Rio de Janeiro, em 1945, e tombada pela Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1958. "Ao contrário de outras cidades coloniais, a arquitetura de Paraty, mostra-se mais interessante, tem mais caráter, originalidade e definição, não apenas nas edificações eruditas, como nas de sabor popular. A beleza arquitetônica de Paraty, deve-se, principalmente, ao equilíbrio da proporção e pureza dos partidos arquitetônicos. A peculiaridade dos saguões nobres que distinguem algumas de suas edificações, merece atenção especial. Houve em Paraty, devido ao elevado índice de sua antiga população, um verdadeiro senso de valor plástico nas construções. Na distribuição dos cheios e vazios houve um apuro e uma segurança de julgamentos excepcionais". Apesar das medidas de preservação citadas acima, o acervo histórico-paisagístico do Município se achava ameaçado pelo surto de progresso verificado em anos recentes. A Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, empenhou-se, então, em estabelecer um regime de defesa mais eficiente, através de um plano urbanístico. A aprovação desse plano gerou o Decreto Presidencial n.º 58.077, em 24 de março de 1966, pelo qual todo o território do Município de Paraty passou a ser considerado Monumento Nacional.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Principal |Web designer|Fale conosco